Skip to content

Testes automatizados

Com o Pororoca, você pode fazer testes automatizados junto com ferramentas de testes do .NET, como o xUnit. Esses testes podem ser executados em uma pipeline ou via linha de comando, enviando requisições a um servidor.

Para criar e rodar esses testes, é necessário ter o .NET SDK em seu computador.

Criando o projeto de testes

Crie um projeto de testes através do Visual Studio ou via linha de comando. Para este último caso, digite os seguintes comandos no seu console:

sh
mkdir MeuTestePororoca
cd ./MeuTestePororoca/
dotnet new xunit
# outras bibliotecas de teste podem ser usadas

Após isso, no projeto de testes criado, o arquivo .csproj precisa ser editado para incluir o pacote NuGet Pororoca.Test.

Se seus testes serão executados em uma máquina Linux e esses testes incluírem HTTP/3, a biblioteca msquic precisa estar instalada. Confira na página de Download a versão apropriada.

xml
<Project Sdk="Microsoft.NET.Sdk">

  <PropertyGroup>
    <!-- Pororoca.Test v3 usa .net8.0 -->
    <TargetFramework>net8.0</TargetFramework>

  </PropertyGroup>
  <ItemGroup>
    <!-- A linha abaixo adiciona o pacote Pororoca.Test ao projeto -->
    <PackageReference Include="Pororoca.Test" Version="3.1.0" />
    <!-- A linha abaixo também é necessária -->
    <EnablePreviewFeatures>True</EnablePreviewFeatures>

  </ItemGroup>

</Project>

Fazendo seu primeiro teste

O código abaixo mostra como usar o Pororoca.Test em um teste no xUnit. Primeiro, ele carrega uma coleção Pororoca vinda de um arquivo. Em seguida, ele define o ambiente que será usado.

cs
using Xunit;
using System.Net;
using Pororoca.Test;

namespace Pororoca.Test.Tests;

public class MeuTestePororoca
{
    private readonly PororocaTest pororocaTest;

    public MeuTestePororoca()
    {
        string caminhoArquivo = @"C:\Testes\MinhaColecao.pororoca_collection.json";
        pororocaTest = PororocaTest.LoadCollectionFromFile(caminhoArquivo)
                                   .AndUseTheEnvironment("Local");
    }

    [Fact]
    public async Task Deve_obter_JSON_com_sucesso()
    {
        var res = await pororocaTest.SendRequestAsync("Get JSON");

        Assert.NotNull(res);
        Assert.Equal(HttpStatusCode.OK, res.StatusCode);
        Assert.Equal("application/json; charset=utf-8", res.ContentType);
        Assert.Contains("\"id\": 1", res.GetBodyAsText());
    }
}

Há métodos na classe PororocaTest para setar valores de variáveis durante a execução dos testes. Eles podem ser usados para setar um token de autenticação, por exemplo:

cs
pororocaTest.SetCollectionVariable("MeuTokenAutenticacao", "token_auth");

O projeto de testes Pororoca.Test.Tests pode guiar e servir de base - ele mostra como usar o pacote Pororoca.Test, como carregar o arquivo de coleção e como setar variáveis em testes.

Testes de WebSocket

Você também pode testar WebSockets com o Pororoca. O código abaixo mostra um exemplo de teste:

cs
[Fact]
public async Task Deve_conectar_e_desconectar_com_sucesso()
{
    // CONECTANDO
    var ws = await this.pororocaTest.ConnectWebSocketAsync("WebSocket HTTP1");
    Assert.Equal(PororocaWebSocketConnectorState.Connected, ws.State);

    // ENVIANDO MENSAGEM DE FECHAMENTO
    await ws.SendMessageAsync("Bye");
    
    // ASSERÇÕES
    Assert.Null(ws.ConnectionException);
    Assert.Equal(PororocaWebSocketConnectorState.Disconnected, ws.State);

    var msg = Assert.IsType<PororocaWebSocketClientMessageToSend>(ws.ExchangedMessages[0]);
    Assert.Equal(PororocaWebSocketMessageType.Close, msg.MessageType);
    Assert.Equal("Adiós", msg.Text);
}

Testes de repetidoras

A seguir, há um exemplo de teste de repetidora. O channelReader é um objeto para recebimento dos resultados das repetições, que ocorrem em threads em background. A linha await foreach é necessária para aguardar o fim de todas as requisições.

cs
[Fact]
public async Task Deve_rodar_repetição_com_sucesso()
{
    var channelReader = await this.pororocaTest.StartHttpRepetitionAsync("Minha repetição");

    Stopwatch cronometro = new();
    cronometro.Start();
    await foreach (var resultado in channelReader.ReadAllAsync())
    {
        // asserções aqui      
    }
    cronometro.Stop();
    // cronometro.Elapsed --> tempo total de execução
}

Fica a seu critério como inspecionar os resultados.

Se você quiser rodar e gerar um relatório no final:

cs
using Pororoca.Domain.Feature.Entities.Pororoca.Repetition;
using static Pororoca.Domain.Features.RequestRepeater.HttpRepetitionReporter;

...

[Fact]
public async Task Deve_rodar_repetição_com_sucesso_e_gerar_relatório()
{
    var channelReader = await this.pororocaTest.StartHttpRepetitionAsync("Minha repetição");

    List<PororocaHttpRepetitionResult> resultados = new();

    await foreach (var resultado in channelReader.ReadAllAsync())
    {
        resultados.Add(resultado);
    }
    
    string caminhoArquivoRelatorio = "C:\\Testes\\relatorio.csv";
    await WriteReportAsync(resultados, caminhoArquivoRelatorio);
}

Rodando os testes

Você pode rodar os testes no Visual Studio ou executando dotnet test através da linha de comando.

Por que testes automatizados fora do programa?

Outras ferramentas de inspeção HTTP, como o Postman e o SoapUI, têm suas áreas de testes dentro da GUI (interface visual). No Pororoca, a escolha foi ter testes separados, pelas seguintes razões:

  • Testes automatizados muitas vezes requerem um setup, como rodar scripts em um banco de dados para pré-adicionar ou pré-remover dados, ou então pegar informações de uma fonte de dados externa, para comparar com as respostas das APIs. Testar dentro da GUI dificulta isso, enquanto que fazer em um código separado facilita.

  • Você pode escolher livremente quais frameworks de testes e asserção quer usar, como o xUnit e o FluentAssertions.

  • Tendo seus testes em um projeto dotnet, eles já ficam preparados para rodar em uma esteira automatizada (CI/CD), apenas requerendo uma etapa dotnet test para executá-los.